Importando dados de uma base de dado local

Hoje em dia, no meio corporativo, e muito comum armazenar seus dados em bancos de dados locais. As tecnologias são vastas para esse tipo de função:

  • MySQL;
  • SQL Server;
  • Oracle;
  • PostgreSQL;
  • Maria DB;
  • Amazon Aurora;
  • Pervasive SQL;
  • Sybase;
  • DB2;
  • Exasol;
  • Vertica;
  • Actian Vector;
  • Greenplum;
  • Denodo;
  • DB2-AS/400;
  • MS Access;
  • SQLite;
  • Firebird;
  • JDBC Driver Supported Databases.

O Zoho Analytics consegue facilmente importar dados de bancos de qualquer um desses bancos. Quer saber como? Basta seguir esse tutorial!

Baixando o Zoho Databridge

O Zoho databridge é um um programa muito leve e independente que precisa ser instalado antes de importar seus dados para o Zoho Analytics. O Databridge serve como uma ponte entre o seu banco e o Data Analytics, e garante a proteção dos seus dados através de um firewall e um https. Sendo assim, o primeiro passo para importar seus dados é fazer o download esse programa.

  1. Da página de importação de dados do seu Zoho Analytics, clique em “Banco de Dados”. É interessante fazer o download pelo Analytics porque existe uma chave que conecta os dois programas, que se encontra aqui.
  2. Clique em fazer download do Databridge. Caso esse botão não funcione, você pode baixa-lo por aqui.
  3. Selecione o seu sistema operacional e copie a chave de instalação do Databridge. Ao clicar na chave ela automaticamente é copiada, mas você pode seleciona-la e apertar “Ctrl+C”.

Assim, um executável será baixado em seu computador, agora basta executa-lo e seguir para o próximo passo.

Instalando o Zoho Databridge

Após executar o instalar do Zoho Databridge, é importante instala-lo corretamente para que o sistema funcione com êxito. A instalação em si é bem tradicional e simples, mas o passo a passo está logo abaixo para suprir quaisquer duvidas.

  1. Com o instalador baixado na etapa anterior executado, uma janela de setup se abrirá. clique em “Next” para iniciar a instalação.
  2. A próxima página contem os termos de licença do programa. Clique em “Yes” para aceita-los e seguir para o próximo passo.
  3. A próxima página serve para a seleção da pasta onde o Databridge será instalado. O programa já seleciona uma pasta padrão, mas caso queira personalizar a pasta de instalação basta clicar em “Browse…” e selecionar a pasta desejada. A seguir, clique em “Next”.
  4. A próxima página é sobre o proxy da rede. Em redes residenciais basta clicar em “Next”. Mas caso a rede seja corporativa, é necessário configurar o proxy da rede. Caso seja o caso, clique na caixa de seleção ao lado de “Use Proxy Server” e em seguida em “Next”. Nesse caso, a próxima página será para inserção das credenciais da rede: Hostname, Porta do proxy, nome de usuário e senha. A seguir clique em “Next”.
  5. A instalação se iniciará e levará menos de 3 minutos. Após essa etapa, basta clicar em “Next”.
  6. A instalação está pronta! Se quiser abrir o programa diretamente, basta selecionar a caixa de seleção ao lado de “Yes, Start Zoho Databridge”. Por fim, clique em “Finish”.

Uma vez que o Zoho Databridge está instalado, basta seguir para o Zoho Analytics para continuar a importação.

Importando no Zoho Analytics.

Com o Zoho DataBridge instalado e o banco de dados preparado para a instalação, basta seguir os passos abaixo para a importação dos dados. Da página de importação de dados do Zoho Analytics, clique em “Banco de dados”.

Preencha os espaços necessários para importação dos dados. Nesse caso, é importante ressaltar que o banco de dados, a depender de como foi instalado, suas permissões com o firewall do comutador.

  1. O primeiro campo é referente a origem do banco, se é um arquivo ou um banco de dados em si.
  2. O segundo campo é o DataBridge utilizado para a importação, se você está seguindo o tutorial até aqui provavelmente só há uma opção.
  3. O terceiro campo é o tipo de banco de dados, como MySQL, Microsoft Access, SQL Server, entre muitos outros. Alguns bancos de dados exigem que seja implementado um conector jar JDBC na pasta “”/lib/drivers” do DataBridge. Esses tipos de aplicações podem ser disponibilizadas pela própria produtora do banco de dados, como a MySQL, a qual disponibiliza esse conector aqui.
  4. Selecione o tipo de autenticação do banco de dados. A autenticação pelo Windows pode ser mais simples, mas ela nem sempre funciona, por isso nesse tutorial se utilizará o próprio servidor SQL.
  5. A seguir se seleciona o host do banco de dados. É comum que esse valor seja o mesmo que o do DataBridge, posto no passo B.
  6. O nome da instância onde está o banco. Esse campo pode ser deixado em branco se não foi especificado nenhuma instância para o banco de dados.
  7. A porta do Banco de dados. Esse valor já vem preenchido pelo Zoho Analytics, mas se necessário ele também pode ser especificado.
  8. Nome de usuário e senha para acesso ao banco de dados, caso a autenticação seja pelo servidor SQL. Esses valores podem ser encontrados no próprio banco de dados.
  9. Nome do banco de dados a ser importado.As últimas seleções são se existe criptografia SSL no banco de dados, e se os dados serão importados para o Zoho Analytics ou utilizados por LiveConnect, isto é, os dados sendo utilizados diretamente do banco de dados, sem importação.

Após clicar em próximo o Zoho DataBridge fará a conexão com a base de dados (isso pode levar alguns minutos). Feita a conexão, é o momento de seleciona o tipo de importação para as tabelas. Existem 4 tipos possíveis:

  1. Tabela única. Nesse caso será importada uma única tabela do banco de dados, que pode ser selecionada na lista de tabelas encontradas no banco.
  2. Múltiplas tabelas. Essa opção é a utilizada para quando seu banco tem mais de uma tabela e desejado extrair apenas algumas ou todas elas. Nesse caso, terão duas listas com as tabelas disponíveis para a seleção, onde a direita são as tabelas disponíveis para seleção e as da esquerda são as tabelas selecionadas. É possível selecionar todas clicando na caixa acima da lista da esquerda, ou buscar as tabelas a serem selecionadas no botão de Busca.
  3. Consulta selecionada. É o melhor método para importar tabelas onde se deseja fazer um pré-filtro ou operação nos dados antes da análise. Essa opção utiliza m bloco de texto escrito no formato de Seleção SQL.
  4. Procedimento personalizado. É outra forma de importação das tabelas, que utiliza uma execução personalizada.

A próxima etapa consiste na definição do espaço de trabalho dessa base de dados e configuração das tabelas no Zoho Analytics. O primeiro campo é o nome do espaço de trabalho, e diz respeito a como será chamado esse banco de dados no Zoho Analytics. O segundo campo é o Nome da tabela, e também é sobre como essa tabela será chamada no Analytics. O programa ainda permite colocar uma breve descrição da tabela no campo “Descrição”. Nessa mesma etapa, caso a importação feita seja de uma única tabela, é possível:

  1. Selecionar quais as colunas das tabelas importadas, clicando na caixa de seleção ao lado do nome de cada coluna
  2. Configurar o tipo de cada coluna (se ela é um nome, um e-mail, um numero), clicando no menu de seleção abaixo do nome de cada coluna.
  3. Renomear as colunas, clicando na engrenagem ao lado do nome da coluna.
  4. O que fazer com os erros que surgirem na importação,ao escolher entre:
    1. “Configure o valor vazio para a coluna” (no qual o programa coloca o valor como nulo);
    2. “Pule as linhas correspondentes” (o programa não importará as linhas em que algum valor está com erro);
    3. “Não importe os dados” (as tabelas em que houver algum dado com problema não serão importadas);

A última etapa da importação diz respeito a repetição. Uma vez feita a conexão, o Zoho Analytics permite o agendamento periódico das importações, podendo ser desde a cada X horas a uma vez por mês. Para selecionar a frequência, escolha umas das opções no menu de seleção ao lado de “Repetir”, e em seguida configure quando será executada a importação. Nessa etapa também a partir de quantos erros na importação o usuário será notificado em seu email. É possível selecionar também se as novas colunas adicionadas nas tabelas serão adicionadas no Zoho Analytics ou não, ao clicar na caixa de seleção. Por fim, selecione como serão essas importações:

  1. “Adicione registros no final”, para que a cada importação os novos dados sejam simplesmente adicionados, sem que os dados antigos sejam apagados (essa opção pode gerar repetição dos dados).
  2. “Apagar os registros existentes e adicione”, para que a cada importação os dados sejam renovados, isto é, os dados antigos são apagados e os novos são inclusos.

Após clicar em “Criar”, o Zoho Analytics fará mais uma conexão com o banco de dados e iniciará a importação. A depender da base de dados essa operação pode levar alguns minutos, mas logo a base de dados estará disponível para análise.

Editando a importação do banco de dados

Feita a importação, ainda é possível editar configurações a respeito da conexão com a base dados e o agendamento da importação.

  1. Selecione o menu “Fonte de dados” na barra lateral esquerda. Caso a barra não esteja disponível, vá na pagina inicial do Zoho Analytics e clique em um espaço de trabalho. Talvez seja necessário clicar em “Mais” na barra lateral esquerda para que esta opção apareça.
  2. Selecione o banco de dados a ser editado.
  3. Para editar a conexão com a base de dados (como mudar a Porta da conexão, o nome da base de dados ou o tipo de conexão). Clique na opção “Edição conexão”, altere as opções desejadas e clique em “Salvar”.
  4. Para alterar a frequência com que o banco de dados é importado, clique em “Configurações de sincronização”, altere nas opções desejadas e clique em salvar.
  5. Para excluir a sincronização com o banco de dados, clique na engrenagem ao lado do banco de dados e selecione “Remover fonte de dados”. Esta opção remove apenas a sincronização, não removendo as tabelas.
  6. Para fazer uma sincronização pontual do banco de dados, clique em “(Sincronizar agora)”.

Deixe uma resposta